Estratégias para a Física de Altas Energias no Brasil.

 

 

Instituto de Física da Universidade de Brasília

2005, Ano Mundial da Física.

(Sob os auspícios da Sociedade Brasileira de Física)

 

 

11 e 1 2 de agosto 2005

 

 

No ano em que celebramos o centenário dos trabalhos de Einstein que definiram os fundamentos da física moderna, fazemos uma avaliação do estado da  arte da de Física de Altas Energias (FAE) no Brasil.  Essa área inclui a Teoria de campos (TC); Cosmologia e Gravitação (CGR); Fenomenologia de Partículas (FEN); Física Experimental de Altas Energias (FEX), e partes da Física-Matemática (FM).    Todas essas subáreas vivem uma fase de intensa atividade, incluindo pesquisas de raios cósmicos, ondas gravitacionais, cosmologia observacional, o desenvolvimento de novos aceleradores de partículas, a solução do problema da hierarquia das interações fundamentais, detecção do Higgs, extensões do o modelo padrão de interações, explicações para a matéria e energia escuras entre outros.  Desde seu início,   o Instituto de Física da Universidade de Brasília  exerceu  um  importante papel  no desenvolvimento da área quando inaugurou em 1964 o primeiro convênio de colaboração com o CERN.

 

     No Brasil a área conta atualmente com cerca de 500 físicos pesquisadores, que contribuem com uma considerável parcela da produção científica nacional, com elevado índice de citações. Na  nova realidade  brasileira, esses físicos  trabalham  em  praticamente todos os estados brasileiros. Isso     sugere a  necessidade    de uma  nova  estratégia,  que permita  o pleno  desenvolvimento  de  novos grupos  independentes  e competitivo,  incluindo o estudo de novas formas de financiamento para colaboração com laboratórios no exterior, do estabelecimento de critérios justos para a  avaliação da produção científica  e  para uma  maior representatividade nos  órgãos  de fomento. 

      

     A reunião de trabalho Estratégias para a Física de Altas Energias no Brasil, a ser realizada no Instituto de Física da Universidade de Brasília nos  dias  11 e  12 de  agosto  de  2005 apresentará  por  um painel de especialistas,  um breve resumo dos principais avanços, desafios, e objetivos  de  cada uma de suas  subáreas.   As palestras terão lugar  no  Auditório do Instituto de Física e serão abertas ao público e em particular aos estudantes, professores  e pesquisadores da Universidade de Brasília.  Ao fim, a reunião promoverá uma “mesa redonda interativa”, com    todos  os demais participantes do encontro. Nessa  mesa os temas relativos ao financiamento da pesquisa, incluindo a questão da  avaliação de produtividade,   da representatividade e   dos convênios internacionais na área serão debatidos.

 

Estarão sendo convidados para compor a mesa redonda os professores: Roberto Salmeron (École Polytechnique de Paris), Adalberto Fazzio (presidente da SBF), Ronald Shellard (CPC),  Carlos  A. Aragão  (CGEE)  e representantes  dos órgãos de fomento.  Três temas principais foram selecionados: (1) Da necessidade do estabelecimento de uma estratégia nacional para  colaborações internacionais  em Física de Altas Energias;  (2) Da necessidade de um critério de produtividade diferenciado para Física de Altas Energias; (3) A exemplo dos atuais fundos setoriais, da conveniência de um de fundo específico para a pesquisa básica. Convites especiais para  a reunião serão enviados aos diretores de instituições onde os maiores grupos de Física de Altas Energias se concentram, bem como aos presidentes dos principais órgãos de Fomento,  Sociedades  de Física,  órgãos  representativos  do Governo  Federal,  dirigentes  da  UnB  e   fundações de apoio.

 

A reunião é uma realização do Instituto de Física da Universidade de Brasília, sob a direção do.

Prof. Antonio Cleves Nunes de Oliveira, como parte das atividades que celebram o ano mundial da Física, e como homenagem ao professor Roberto Aureliano Salmeron, fundador do Instituto, organizada por   Ademir Santana (Coordenador do Projeto AMF2005-IF-UnB) e  Marcos   Maia  (Coordenador da Reunião)

 

 

Programa

 

               

11/08/quinta

12/08/sexta

8:30-9:00

 

    9:00-9:30

Gay

9:30-10:00

 

Escobar

   10:00-10:30

 

       Shellard

   10:30-11:00

recepção

café

11:00-11:30

             Cleves

Odylio

11:30-12:00

Salmeron

Élcio

12:00-12:30

Fazzio

Rivelles

12:30-13:00

Bassalo

Waga

13:00-14:30

almoço

almoço

14:30-15:00

Opher

Matsas

15:00-15:30

Santoro

Novello

15:30-16.00

dePaula

café

16:00-16:30

café

 Mesa Redonda

16:30-17:00

Marroquim

 Mesa Redonda

17:00-17:30

Toledo

Mesa Redonda

17:30-18:00

Lenz

Encerramento

18:00-18:30

Natale

 

 

 

 

 

 

Temas  das Palestras

 

  1-Adalberto Fazzio,   (SBF)    A  Física  de Altas  Energias  para  o Brasil

  2-Alberto Santoro,      (UERJ)  Experiências  Dzero  e  CMS

  3- Alejandro Iszanto de Toledo,  (USP)    Experiência  ALICE

  4-Adriano Natale,  (UNESP)     Fenomenologia das   Partículas  Elementares

  5- Cláudio Lenz Cesar,  (UFRJ)         Experiência  ALPHA

  6-Carlos  Ourívio  Escobar,  (UNICAMP)    Raios Cósmicos de Altas Energias

  7- Élcio Abdalla,  (USP)             Cosmologia de Branas     

  8- Fernando Marroquim, (UFRJ)        Experiência ATLAS

  9- George  Avram  Matsas,    (UNESP)        Fortalecimento  da Física Básica no Brasil  

10- Ignácio Bediaga,   (CBPF)            A  experiência   LHCb

11- Ioav  Waga,  (UFRJ)            Aceleração Cósmica @ 2005

12- Leandro de Paula, (UFRJ)          Experiência  LHCb

13- José Maria Filardo Bassalo,  (UFPa)            Raizes  da Física no Brasil  

14- Maria  Beatriz  Gay,  (UFRGS)       Desenvolvimento da Fenomenologia  no Brasil  

15- Mário Novello,    (CBPF)   A  Estratégia  do   ICRA-BR para   a Cosmologia no  Brasil

16- Odylio Denis  Aguiar,  Participação  Brasileira no LISA-ALIA-BBO

17- Reuven Opher      (USP)      A  Nova  Física  no  Espaço: Origem e Evolução do Universo

18-Roberto A.  Salmeron  (Polytechnique) O Brasil no Contexto das   Colaborações Internacionais

19- Victor Rivelles,   (USP)         Gravitação  e  Teoria de Calibre

 20-Ronald Shellard     (CBPF)  Resultados Recentes  do Observatório Auger