Observatório Astronômico

Histórico do Observatório Astronômico da Universidade de Brasília

Em 1998, a partir do estimulo entusiasta do Dr. Thyrso Villela do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) começamos a imaginar como poderíamos implementar a área de Astrofísica no Instituto de Física(IF) da UnB. Em função de sua experiência na área de cosmologia experimental, o Dr. Thyrso propôs a participação do IF UnB no experimento do projeto GEM cuja finalidade é medir a contribuição galáctica na radiação cósmica de fundo. Importante ressaltar que o experimento faz parte de um projeto internacional oriundo da Universidade da Califórnia em Berkeley, cujo investigador principal é o Prof. George Smoot que recebeu prêmio Nobel recentemente. Nesta mesma época consideramos a hipótese, de trazer o Prof. George Smoot pesquisador para um colóquio sobre radiação cósmica de fundo na UnB. Infelizmente a iniciativa do colóquio não obteve sucesso por falta de recursos, mas demos prosseguimento a implantação do projeto na UnB.

A primeira atividade do projeto GEM no Distrito Federal foi a realização de uma expedição com técnicos do INPE para executar medidas de interferência eletromagnética no Centro Oeste em 1999. Ela contou com a participação de D= 40 cm que se encontra sob nossa responsabilidade para possível recuperação nas oficinas do LNA(Laboratório Nacional de Astrofísica) e instalação, quem sabe, no Centro-Oeste em futuro próximo.

Um dos professores fundadores da UnB, o prof. Marcos Maia executa pesquisas nas áreas de relatividade geral e cosmologia desde o fim da década de 60 e já formou inúmeros mestres e doutores na área tanto na Física como no Dep. de Matemática. Importante ressaltar que Prof. Marcos Maia, que também é parte da equipe do observatório tem dado apoio a estes projetos desde então.

O grande interesse nos cursos nos levaram a propor um ano antes (2000) para a Reitoria da UnB ( com a concordância do conselho do IF) a construção de um Observatório óptico didático para instalar um telescópio MEADE (LX 2000 com Diâmetro= 25 cm ) que havia sido adquirido pela FUBRA (Fundação Universitária de Brasília) sediada na UnB. O telescópio foi adquirido para ser utilizado primeiramente no projeto da Expedição Humbolt realizada na Amazônia neste mesmo ano, para então depois ser doado para pesquisa e cursos de Astronomia no IF.

Depois de inúmeros percalços burocráticos a construção do observatório foi finalmente aprovada em 2002, mas o inicio das obras só viria a ser efetivado dois anos depois em 2004. O apoio do Prof.Timothy Mulholand então Vice Reitor da UnB na época foi fundamental para inicio das obras. Neste período de dois anos recebemos apoio da prefeitura do campus, da FUBRA que também financiou parte da construção pagando pelo desenvolvimento e construção da cúpula e do mesanino do observatório. A nossa participação em programas da AEB Agência Espacial Brasileira como o AEB Escola e o UNIESPAÇO também ajudou a dar mais visibilidade do projeto do observatório na UnB.

A instalação do telescópio e a finalização da parte civil da construção ocorreu em julho de 2006, quatro anos depois de sua aprovação. Neste mesmo mês os alunos do curso de extensão para professores do ensino médio e fundamental do DF, dentro do curso de Astronomia do programa CESPE INTERAÇÃO inauguraram o observatório com uma aula de observação do céu onde vários tipos de telescópios foram utilizados inclusive o MEADE LX 200 recentemente instalado.

O apoio do Instituto de Física em especial do Núcleo de estrutura da matéria e do laboratório de plasma foram fundamentais para a construção do observatório. O apoio a realização de seminários, simpósios e escolas de astronomia e astrofísica bem como a contratação de pesquisadores visitantes foram e estão sendo determinantes para o futuro da Astrofísica na UnB.

Desde 2004 o Laboratório de Plasmas do IF UnB executa projeto de desenvolvimento de dispositivos para satélites artificiais e tem dado grande importância para as pesquisas na área de dinâmica orbital e mecânica celeste do sistema solar.
Em função do Projeto de Desenvolvimento de Propulsor a Plasma para Veículos Espaciais, do programa uniespaço da AEB, o Instituo de Física contratou um pesquisador visitante o Prof. Dr. Décio Cardoso que além de contribuir para o projeto está atualmente executando observações astronômicas de corpos menores do sistema solar em colaboração com pesquisadores do Observatório Nacional(ON) no Rio de Janeiro.

Recentemente a ocultação de estrelas pelo planeta anão plutão foi registrada e a observação da órbita de asteróides e de cometas está atualmente em andamento. Estas campanhas de observação contam com a participação de toda a equipedo observatório além dos professores Décio e Leonardo participam os estudantes Victor de Souza Magalhães, Rodrigo Pio Fernandes Lopes, Thais Carneiro Oliveira, Suzana de Souza e Almeida Silva e Adriana Elysa Alimandro Corrêa além do técnico Glauber do centro de manutenção de equipamentos.

Com a instalação da internet no observatório e a realização do Curso de ASTRONOMIA e ASTROFÍSICA por pesquisadores do ON de 27 a 31 de agosto de 2007 esperamos comemorar , finalmente, o inicio da segunda fase do Observatório da UnB. Nesta nova fase o observatório vai se preocupar principalmente em realizar pesquisas conjuntas com outros observatórios no Brasil e no mundo e consolidar o seu papel como laboratório didático estratégico de astronomia no Centro Oeste, contribuindo assim para a implementação da área de Astrofísica na Universidade de Brasília, um sonho antigo que esperamos esteja agora começando a se concretizar.

José Leonardo Ferreira

(Professor do IF UnB e atual responsável pelas atividades do Observatório Astronômico da UnB)